A Voz do Padre

por Koodathinal, 22/11 às 01:01 em Grupo de Destaque Grupo I

Busquemos atitudes de desapego. 

 

Uma pessoa não identificada perguntou a Jesus:  O que ele deve fazer para ganhar a vida eterna? Na profissão de fé nós rezamos finalizando e dizendo creio "na vida eterna", mas não diz como podemos ganhar? Basta crer? 

 

 

 

Mesmo que ele tenha observado os mandamentos desde a sua juventude, agora ele está preocupado com a vida eterna. Por que será? Alguma coisa o incomoda ? Ele pensava estar em Deus e com Deus pelo fato de cumprir os preceitos. Desde o tempo de sua juventude não havia transgredido os mandamentos. A pergunta que dirigiu a Jesus " ...que devo fazer para ganhar a vida eterna?". 

 

 

 

Parece que ele sabia que a riqueza não estava garantindo-o. Ele pode observar que muitos ricos "velhos" morreram sem levar nada da sua riqueza deste mundo. Ele ainda era novo e a resposta de Jesus foi  um grande desafio: seria uma prova de sua liberdade diante da riqueza! Ao dar as costas para Jesus e ir embora, triste e aflito, o homem rico demonstrou que sua riqueza estava acima da vontade Deus e sua obediência aos mandamentos não tinha consistência. 

 

 

 

Talvez a riqueza dele tivesse sido acumulada de forma egoísta. Preferiu garantir o tesouro terreno, em detrimento do tesouro no céu, pois  ainda estava muito distante da vida eterna. Achava que era muito jovem para morrer. 

 

 

 

O apego aos bens materiais é idolatria. A palavra de Deus nos liberta do apego aos bens materiais. O "desapego" nos leva receber no mundo futuro, a vida eterna, como professamos a nossa fé, finalizando a profissão de fé: creio "na vida eterna". Então busquemos atitudes de desapego. Talvez isso é o que está faltando em nós. Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.

 

 

2015 - ANO DA PAZ

 A Igreja Católica dedica o ano de 2015 à reflexão sobre a paz. A violência é uma realidade chocante. Sabemos que a violência nem sempre provoca a morte. Ela se manifesta em diversos meios e de diferentes formas. “Se manifesta nas famílias onde casais não dialogam entre si, onde pais abandonam ou maltratam os filhos, onde filhos abandonam os pais idosos e doentes. Se manifesta no tráfico de drogas, na exploração do trabalhador, nos abusos sexuais, na discriminação de pessoas por causa da cor, idade, religião ou condição social. Se manifesta no trânsito com a falta de respeito às leis, falta de cuidado na direção e desrespeito aos outros motoristas. E se manifesta, sobretudo, no pouco valor dado à vida humana, onde pequenas desavenças facilmente levam a atitudes radicais, como brigas e assassinatos.


Impulsionados pelas palavras e atitudes do nosso Papa, e inspirado na ocasião de uma vigília pela paz na praça São Pedro no dia 7 de setembro de 2013.A Igreja no Brasil proclamou 2015 como o Ano da Paz. A abertura se deu no  dia 30 de novembro e a conclusão será no Natal de 2015. Um ano da paz pode nos ajudar a refletir sobre o porquê da violência e a necessidade da paz. Digamos não à violência e sim à paz. 

 

Oração do sacerdote

 

Senhor, vós me chamaste ao ministério sacerdotal em um momento concreto da história no qual, como nos primeiros tempos apostólicos, quereis que todos os cristãos, e de modo especial os sacerdotes, sejam testemunhas das maravilhas de Deus e da força do vosso Espírito. Fazei que eu também seja testemunha da dignidade da vida humana, da grandeza do amor e do poder do ministério recebido: tudo isso com o meu peculiar estilo de vida a vós entregue por amor, só por amor e por um amor grandíssimo.Fazei que minha vida celibatária seja a afirmação de um “sim”, gozoso e alegre, que nasce da entrega a vós e da dedicação total ao próximo a serviço de vossa Igreja. Dai-me força em minhas fraquezas E também gratidão em minhas vitórias. Mãe Imaculada, que destes o mais grandioso e maravilhoso “sim” de todos os tempos, que eu saiba converter minha vida quotidiana em fonte de generosidade e entrega, e junto a vós, aos pés das grandes cruzes do mundo, associai-me a dor redentora da morte de vosso Filho, para gozar com Ele do triunfo da sua ressurreição para a vida eterna. Amém.

 

Oração pelo sacerdote

 

Senhor Jesus, presente no Santíssimo Sacramento do Altar, que vos quisestes perpetuar entre nós por meio de vossos sacerdotes, fazei com que suas palavras sejam somente as vossas, que seus gestos sejam os vossos, que sua vida seja o fiel reflexo da vossa. Que eles sejam os homens que falem a Deus dos homens e falem aos homens de Deus. Que não tenham medo de servir, servindo a Igreja como ela quer ser servida. Que sejam homens, testemunhas do eterno nosso tempo, caminhando pelas estradas da história com vosso mesmo passo e fazendo o bem a todos. Que sejam fiéis aos seus compromissos, zelosos de sua vocação e de sua entrega, claros reflexos da própria identidade e que vivam com alegria o dom recebido. Tudo isso vos peço pela intercessão de vossa Mãe Santíssima: ela que esteve presente em vossa vida, esteja sempre presente na vida dos vossos sacerdotes. Amém



SJO - © 2014 - Todos os direitos reservados - Gestão e Desenvolvimento por: